Outras notícias

19 de maio de 2015

 

Museu da Lourinhã escava Elefantes fósseis em Marrocos

 

No novo volume das Comunicações Geológicas é descrito parte do resultado do trabalho marroquino-português no Médio Atlas, e que foi tema da tese de mestrado de João Marinheiro integrado no Mestrado em Paleontologia FCT-UNL + UÉ. A descoberta mais importante são vários esqueletos de elefante fóssil e extinto, o Elephas recki.

 


Quaternary fossil sites from the Middle Atlas of Morocco


A riqueza paleontológica do Marrocos é conhecida pelo menos desde o início do século XX. A região do Médio Atlas, mais especificamente a área de Boulemane, foi todavia pouco estudada desde a década de 1960, quando foram descobertos fósseis de vertebrados do Jurássico Médio. Em Setembro de 2013, uma expedição marroquino-portuguesa a Taghrout, Boulemane, fez recolhas numa jazida fossilífera do Plistocénico que foi outrora uma pequena bacia sedimentar de elevada altitude, não cartografada em mapas geológicos anteriores. A escavação recolheu ossos e dentes de mamíferos de grande porte, sendo os achados mais comuns atribuídos a elefantes do género Elephas, tendo sido também recolhidos artiodáctilos, tartarugas e ferramentas acheulenses. Esta jazida representa um novo e importante sítio paleontológico e arqueológico. Além das descobertas em Taghrout, a expedição também recolheu vertebrados quaternários de uma gruta nas proximidades e encontrou novas localidades jurássicas, com ossos de arcossauros e pegadas de dinossauros, em El Mers.

Trabalhos IXCNG

A equipa portuguesa contou com Octávio Mateus, João Marinheiro, João Russo e Marco Marzola, da Universidade Nova (FCT-UNL) e do Museu da Lourinhã.

Marinheiro, J., Mateus O., Alaoui A., Amani F., Nami M., & Ribeiro C. (2014). New Quaternary fossil sites from the Middle Atlas of Morocco. Comunicações Geológicas. 101, Especial I, 485-488.

PDF: http://www.lneg.pt/download/9594/96_2911_ART_CG14_ESPECIAL_I.pdf


Outras notícias